Entrevista deputada federal eleita, Dayane Pimentel atribui votação expressiva ao desejo de mudança


A professora Dayane Pimentel (PSL), eleita deputada federal com 136.742 votos, atribuiu sua votação expressiva ao desejo de mudança do povo baiano. Segundo ela, as pessoas estão cansadas do atual modelo político e disse que pretende fazer uma política voltada para o povo. Ela agradeceu aos eleitores e apoiadores.
“Agradeço aos meus eleitores que acreditam em mim e sabem que vou honrar cada voto. A gente precisa de uma mudança e a minha votação expressiva significa essa mudança. Agradeço a todos pela confiança”, disse, acrescentando que vai governar para todas as cidades da Bahia.
“Eu sou deputada de Feira de Santana, sou deputada de toda a Bahia, irei representar a todos. Quero continuar morando em Feira com a minha família e vamos trazer muitas coisas boas através desse mandato. Mas também vou representar todas as cidades do estado, tanto as que me deram muitos votos como aquelas que me deram poucos votos. Estou muito feliz que a democracia tenha me acolhido”, comemorou.
Coligação com Igor Kannário
A deputada eleita disse ainda que representa os cristãos, policiais, famílias e que por esse motivo não queria fazer coligação com Igor Kannário (PHS), também eleito deputado federal da Bahia.
“Ele faz uma política voltada ao contrário daquilo que defendemos. Eu sou defensora dos nossos policiais militares, ele, ao que consta, tem pouca habilidade com essa categoria. Então dessa forma a gente não representa o mesmo público, mas estamos dentro de uma democracia. Esclareço que Kannário não é um parlamentar do PSL, ele faz parte dessa coligação. O Igor tem o partido dele, a política dele, teve uma votação expressiva, ele alcançou essa segunda vaga. E com o meu número expressivo de votos, ajudei a puxar o terceiro eleito da coligação, que foi pastor Abílio Santana (PHS)”, afirmou.
Votos para Bolsonaro
A partir de agora, Dayane afirma que vai seguir buscando votos para o candidato à presidência da República Jair Bolsonaro, que vai disputar o segundo turno com Fernando Haddad (PT).
“Bolsonaro me escolheu para representá-lo aqui, pois sou a voz do povo e não dos políticos. A Bahia é muito grande e todos que quiserem contribuir com a vitória de Bolsonaro serão bem recebidos. Para o segundo turno nossas expectativas são as melhores. Acredito que Bolsonaro vai alcançar esse pleito e vou buscar mais votos para ele na Bahia”, disse.

Nomes baianos no Governo Bolsonaro
Dayane Pimentel afirmou que as articulações políticas já começaram, “mas não da forma como a mídia tem especulado”. Segundo ela, estão ocorrendo diversas conversas com pessoas próximas de Bolsonaro e que estão disponíveis para ajudar no governo. Ela destacou que as expectativas em cima dessas articulações são “bem tranquilas” e que todos estão disponíveis para “qualquer arrumação que Bolsonaro queira fazer”.
Sobre os cargos na Bahia, Dayane Pimentel disse que muitos perfis já estão sendo analisados e que ela estará a frente de “muitas coisas”. “Já estamos analisando muitos perfis, estamos buscando pessoas técnicas, queremos continuar nesse quadro de renovação política com pessoas novas, capacitadas, que queiram a mudança e eu estarei junto ao Bolsonaro”, afirmou.
Zé Ronaldo no governo Bolsonaro
Após a declaração de apoio a Bolsonaro por parte de José Ronaldo, quando era candidato ao governo do estado, muito especulou-se sobre a possibilidade de o ex-prefeito de Feira assumir um cargo no governo Bolsonaro. Ao Acorda Cidade, Dayane destacou que o presidente eleito não vai trabalhar com cargos políticos, visando estabelecer uma relação só por ser político, mas disse que aqueles políticos que são gestores natos e técnicos em muitas funções, a exemplo de Ronaldo, têm a chance de integrar o governo.
“Existe sim esse espaço. Então a gente entendendo que há a possibilidade, não teríamos porque negar, mas ainda não estamos analisando esses aspectos, até porque estamos em fase de reconhecimento dessas funções para entender quem é que vai compor junto com a gente. Tá tudo muito cedo, a gente não quer repetir erros, precisamos acertar. Esse é o resultado que a nossa sociedade está esperando e vamos analisar com cuidado. Entre os técnicos, acredito que na Bahia temos políticos que tenham macete e vamos chamar para dialogar e, dando certo, não há porque negar essas funções”, declarou.
Ela ainda falou sobre o convite que fez a José Ronaldo para integrar ao PSL. “O PSL é aberto para todas as pessoas que queiram se unir a nós e ajudar nosso projeto. Já fiz esse convite ao José Ronaldo, no início, quando ele ainda estava com pretensão de sair ao senado. Nosso partido quer crescer, buscando pessoas que entendam o perfil do Bolsonaro”.
Conversas com ACM Neto
A professa Dayane Pimentel afirmou que o PSL está conversando com o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), entre outras lideranças políticas. “Estávamos em segundo turno, algumas lideranças resolveram nos apoiar e nós aceitamos. Conheço o perfil de alguns e sei onde cada um pode ou não contribuir e ainda vamos analisar quais são os quadros que devemos preencher e escalar pessoas que tenham técnica, pois não vamos trabalhar com nomeações políticas. Lutamos contra isso, pois queremos pessoas que possam realmente ajudar para gerar resultados positivos. Nossos diálogos com ACM Neto foram todos a cerca do segundo turno. Não conversamos sobre outros assuntos, mas ele também pensa como nós, acredita que a política precisa ser renovada, precisa de pessoas técnicas”, afirmou.
Conversas com Colbert Martins
Dayane também assumiu que já conversou algumas vezes com o prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins da Silva Filho. “Ele sempre ligou pra ver a se a gente estava precisando de algo que ele pudesse resolver a termos burocráticos, já que ele tem uma expressividade. Sou a única deputada federal mulher e uma das poucas de Feira de Santana e essa tentativa de aproximação é muito natural. Por se tratar de Colbert, que é uma pessoa tranquila e solícita, a aproximação realmente acontece e eu estou disposta a ajudá-lo na administração da nossa cidade e de mostrar a ele que sou uma pessoa que ele pode contar”.
Eleições municipais de 2020
A deputada federal eleita falou sobre as especulações sobre a participação dela nas eleições municipais para 2020. Ela disse ao Acorda Cidade que está concentrada nas funções como deputada federal e que ainda é cedo para falar sobre o assunto.
“Estou muito concentrada em ajudar o Bolsonaro, estou concentrada naquilo que vou precisar trabalhar enquanto legisladora e essas questões a gente vai buscando resolver através do tempo. O povo me elegeu para ser deputada federal e eu preciso me concentrar nisso, dando sustentabilidade ao governo de Bolsonaro. Estamos no início de tudo e é preciso focar para fazer as coisas da maneira correta”.
Retaliação de Bolsonaro a Bahia
Apesar de Bolsonaro não ter tido uma votação expressiva na Bahia e de o governador do estado ser de oposição (Rui Costa do PT), a professora Dayane Pimentel negou a possibilidade de retaliação por parte do governo federal.
“O governador Rui está fazendo uma análise com base naquilo que ele reflete. Ele deve tratar assim os deputados estaduais dele, deve boicotar aqueles que são oposição. Mas ele pode ficar tranquilo, que isso não vai acontecer no governo Bolsonaro, desde quando o governo estadual tome diretrizes que venham beneficiar ao povo. A gente não faz política para político, a gente faz política para a sociedade”, destacou.
Política do ‘toma lá da cá’
Questionada sobre o circulo vicioso na política do ‘toma lá da cá’ para as aprovações de projetos, a deputada federal Dayane Pimentel afirmou que Bolsonaro não vai trabalhar desta forma e que os representantes que não souberem levantar as bandeiras que visam a dignidade e em trazer melhorias na qualidade de vida das pessoas, o próprio povo vai fiscalizar, exigir e cobrar.
“Com esse novo cenário político tenho certeza disso, pois mesmo os deputados da turma do ‘toma lá da cá’ já entenderam que a população não está de brincadeira. Ou eles estão de acordo com as bandeiras que a sociedade espera pra viver melhor, ou não terão uma reeleição. Nós não trabalhamos com ‘toma lá da cá’ e Bolsonaro vai provar que as coisas não funcionam assim com ele. Então, na verdade quem está numa situação delicada são esses representantes que trabalham assim e não Bolsonaro. Ele quer fazer melhorias e pretende contar com os representantes do povo”, afirmou.
Sérgio Moro no governo Bolsonaro
A deputada Dayane Pimentel ainda confirmou a vontade de Jair Bolsonaro de convidar o juiz Sérgio Moro para integrar o quadro do governo. “Sim, existe essa vontade, mas até agora o Bolsobaro só tem quatro nomes já decididos para ministério: Paulo Guedes, Ministério da Fazenda, general Augusto Heleno, Ministério da Defesa, Onyx Lorenzoni, como ministro-chefe da Casa Civil e o astronauta Marcos Pontes para o Ministério da Ciência e Tecnologia. Vou repetir as mesmas palavras de Bolsonaro: ‘outras especulações são daquelas pessoas que auto se declaram, muitas vezes tentando se oportunizar da situação’”.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.